domingo, 2 de abril de 2017

U&B: Uma aventura interativa - Capítulo 6 (FINAL)

Fala guerreiros e guerreiras!!!



Entããããão cambada! Seguinte! Demorô mas saiu mais um capítulo da nossa aventura.... Porém...Até segunda ordem, o último :(
Como expliquei lá no inicio nas regras, este tipo de "livro interativo" pode terminar a aventura virando a próxima esquina, e é o que houve. 

Das 3 opções que foram colocadas a última foi a mais votada, 87%, ou seja, muito... E como dizem, a curiosidade matou o gato, ou neste caso, acabou nossa aventura... :/  Mas como tudo, um dia quem sabe não retomamos...

Vamos então ao desfecho deste arco, e lá no final falamos novamente ;)



Capítulo 6
(FINAL)

Mikill e eu saímos pela lateral da biblioteca que tinha o tamanho de um anfiteatro enorme, com prateleiras, colunas e espaços fechados e reservados para todo lado. Era como uma mega construção dentro de outra mega construção. Entramos numa sessão fechada, que diferentemente das outras não tinha as paredes de madeira vazadas em meio a desenhos, esta era uma parede maciça, imponente e que fechava parte da biblioteca e ia até o teto, um teto de uns vinte metros de altura. Na porta um símbolo chamou minha atenção e eu tinha quase certeza que se tratava de Yggdrasil, a árvore do mundo. 


Olhei para Mikill esperando talvez uma permissão, ele parecia não olhar para mim, era como se eu estivesse lá a esmo, e por tal razão resolvi empurrar aquela porta enorme que sequer se mexeu um centímetro. 

Senti a mão do velho ferreiro sob meu ombro e me virei, ele me disse que não funcionava assim, e que essa seção era especial, que não era qualquer um que poderia entrar lá ou estar preparado para receber o tipo de informação que haveria lá. 
Olhei novamente para a enorme árvore na minha frente, a Yggdrasil definitivamente era imponente. 
O ferreiro disse enquanto eu tocava nos entalhes da porta que somente os Deuses tinham acesso a esta seção, que somente quem eles escolhessem ou permitissem poderiam ter o acesso além deles, me virei e o encarei 


-Quer dizer então que estar aqui é perda de tempo pois não poderei entrar... Então por que não me disse para irmos a algum outro lugar? 


- Porque este é seu lugar. Se estas aqui então quer dizer que te foi permitido caminhar entre nós, e portanto algum Deus está te querendo neste lugar, o que te faz alguém escolhido... Eu que você tentava colocar a mão nesse pequeno espaço na sua frente, está vendo? 



 Olhei novamente e notei que em meio as formas do enorme freixo havia uma espécie de forma que realmente parecia uma mão, porém muito maior do que a minha, talvez as mãos dos deuses tivessem aquele tamanho. 
Com cautela avancei meu braço em direção à marca e coloquei devagar minha mão encima e para meu espanto senti a porta toda vibrar e me afastei. 
Realmente senti um frio descendo a espinha, a porta parecia estar passando por algum efeito em cadeia e a vibração foi ficando forte acompanhada de rangidas. Me afastei ainda mais, mas a mão do Mikill nas minhas costas me forçou a ficar parado onde estava. 

A porta se abriu no meio como se fosse os portões do próprio Valhalla, mas para minha surpresa, dentro, a seção era o quadruplo do tamanho de fora, um salão completamente tecnológico que destoava totalmente do lugar onde estava, era como se a tecnologia tivesse invadido um era perdida no tempo! 

Mikill me empurrou para dentro, mas não entrou comigo, aliás ele deu um passo para trás enquanto as portas novamente se fechavam, consegui apenas gritar algumas das perguntas que eu precisava responder; 


-O que é isto!? 

- São as Nornas! ele me respondeu com tom mais alto. 


Me lembrei que ele disse quando estávamos na sua casa que as Nornas ou as Valquírias não eram o que eu ou a humanidade imaginava fossem, ele tinha me dito que as Valquírias eram diferentes e viemos aqui para me mostrar como eram, mas agora parecia que eu estava no mesmo recinto que as Nornas e só enxergava um salão enorme que parecia a bat-caverna, escura, com muito metal e 3 telas de cinema no fundo.


-Entre aqui! Falei para Mikill.

-Não posso Khrizitan, como disse, aí dentro só se entra se for um deus ou se for escolhido por um. Se tu estás em pé ali é porque esse é o lugar onde deves estar e não o meu. 




A porta quase se fechava por completo, ouvi apenas mais uma coisa vinda do ferreiro antes de fechar completamente. 

- Pense o que perguntar, elas responderão tudo que você precisa ouvir neste momento. 




DRUUUUM! As portas se fecharam completamente. 




Caminhei em direção aos telões que se mantinham acesos num tom fraco de azul escuro, como um stand by. 
Tudo piscava ao meu redor, havia pequenos globos que pareciam câmeras para todo lado, os painéis a minha frente me lembravam o convés de uma nave espacial e os telões acima pareciam enormes janelas para um espaço azul. 

Dei um ultimo passo antes de parar, pois apertei algo no chão que o fez iluminar e as telas pareceram ganhar vida enquanto pequenos pixels azul claro dançavam no espaço azul escuro, se mexendo para todos lados e em um piscar de olhos formaram o que pareciam 3 rostos gigantes me encarando, os rostos de 3 mulheres para ser mais específico. 




-Khriztian, seja bem-vindo! Me disse a do meio, enquanto a da esquerda que parecia ter traços mais fortes e marcados, como se fosse mais velha, e mais séria, prontamente me mandou perguntar o que queria saber, porém a da direita que tinha forma mais redonda e parecia mais risonha disse para a outra tela aguardar, que eu deveria estar confuso e com medo, e ela tinha razão. 



Eu, ah... Por que estou aqui? Por que me trouxeram? O que preciso fazer? E minha família? Eles devem estar sentindo minha falta! Por que ninguém me responde nada!? 

 A do meio falou; 

 -Você foi trazido por uma valquíria e inicialmente achamos que fosse um engano, essa ordem não foi dada por nós, mas notamos que você poderia ser a pessoa certa para a tarefa que o grande pai de todos nos deu e permitimos você ficar para o estudar, mas... Lamentavelmente não é você, não agora.  Você parece ter tudo o necessário mas ao mesmo tempo nos confunde não parecendo ter nada. 


O telão da esquerda mudou, uma nova imagem foi formada pelos pixels dançantes... 

Era minha família, eu os vi, mas eles estavam bem, tudo parecia normal, eu não entendi. 
O telão desligou. 
 O telão da direita mudou desta vez, e eu vi um lugar que parecia uma floresta, saída das minhas fotos favoritas salvas no meu HD, era um lugar maravilhosamente lindo. Parecia uma filmagem de alguém caminhando e avançando, me mostrando algo. Ao longe tinha muita luz e nessa luz consegui ver uma edificação, era um rochedo, mas era feito de cristal e no meio tinha um amontoado que parecia uma torre. 
Os pixels mudaram... 

Agora tinha uma mulher, era linda! Os traços lembravam uma mulher oriental, porém a pele parecia iluminada, ela estava sentada sobre um cristal. havia muita luz, tudo parecia uma visão das minhas fantasias mais secretas, era como se estivessem criando a mulher dos meus sonhos em um computador. A única coisa que diferia nessa fantasia era o chifre enorme na testa dela, não que fosse um problema.
Ela parecia um unicórnio, se não fosse pelo detalhe de não ser um cavalo, mas eu estava gostando do que estava vendo e por um momento me esqueci de tudo, minha atenção estava completamente naquela tela, nela.

A visão mudou, tinha um outro gigante, parecia o Thor que eu tinha visto, mas o capacete era diferente, e ele andava encima de um animal tão grande quanto, parecia um porco selvagem, ou um javali, não sei. Ele estava encurralando alguém apontando uma galhada dourada gigante em direção a pressa. A câmera parecia de cinema, uma filmagem aérea, como se fosse um drone e eu consegui ver um cara, vestindo uma armadura, no maior estilo filme de ficção científica, tinha uns símbolos brilhando e um capacete com visor iluminado... E o visor se abriu... Era eu!  
O telão desligou. 
O da direita, mostrava meu quarto agora, e eu estava nele, estava lá na minha cama, dormindo, como se eu estivesse fora do meu corpo e estivesse me enxergando. A tela também desligou. 

Os 3 rostos voltaram a se formar. 

Só depois reparei que a tela do meio esteve formada e falando e eu não ouvi uma palavra. Olhei para ela e me desculpei dizendo que tinha me distraído, enquanto o telão da esquerda que voltara ao rosto da velha carrancuda  avisou as outras que com certeza não era eu. 

 Eu parei, voltei a mim e perguntei;


 Eu não sou o que? Por que minha família parece não ter notado que eu não estou lá há dias? Quem é aquela mulher, ou criatura e por que me mostraram ela? E principalmente porque eu estava lá, vestido como se estivesse num filme, com um gigante me ameaçando com uma arma esquisita, e depois apareci dormindo na outra tela? EU NÃO ESTOU ENTENDENDO MAIS NADA! 




As 3 telas me responderam em uníssono; 

-Aquilo que foi mostrado nada mais é do que seu passado, e seu futuro, o presente é o que falamos agora e você, somente você, pode ver o que foi mostrado, nos apenas exteriorizamos o que foi e o que haverá. Essas imagens só fazem sentido para você e são as que você precisava ver, mas como falamos, não é você, não agora, e quanto a suas perguntas você sabe as respostas, mas na sua volta terá tempo para pensar nelas. 


-Volta? 


Senti algo atrás de mim fazendo barulho, me virei rapidamente mas só tive tempo de ver uma esfera maior que eu se abrindo e me jogando para dentro dela, a abertura se fechou, era todo acolchoado dentro, e eu tentei abrir e soquei, bati, nada abriu a porta e não enxergava nada pela pequena janela em forma de bolha de vidro que mostrava o exterior. 


PSSSSSS!!!!!!!!  

Um gás começou a se espalhar em volta de mim, parecia névoa, e eu senti cheiro forte de eucalipto, e apaguei. 



Senti uma luz forte no meu rosto, abri os olhos e vi um vulto abrindo minha janela, e iluminando todo meu quarto.  EU ESTAVA NA MINHA CAMA DEITADO!? COMO!??

Meu pai estava sentado ao meu lado me perguntando se estava bem, enquanto minha mãe que abria a janela disse estarem preocupados pois eu não tinha dado sinal de vida desde ontem e parecia que tinha dormido um dia e uma noite inteiras... Olhei meu celular ao meu lado, de fato, era sexta feira, dia seguinte ao dia da abdução, ou do que eu achava que havia sido uma abdução, estava tudo muito confuso. 

Meus pais saíram do quarto e dizeram ficar durante o dia para cuidarem de mim, acho que esperavam estivesse doente, e eu começava a pensar que realmente estava. 
Levantei e fiquei me encarando na frente do espelho, olhando cada detalhe de mim, tudo estava igual, eu não conseguia acreditar que tudo tinha sido um sonho, isso era muito irritante! Era muito brochante!  
Tudo foi tão real, como podia? Eu tinha uma boa imaginação mas não chegava a esse ponto.
 
Sai do quarto em direção à cozinha para comer algo, estava faminto e meus pais tinham ido me visitar, nada mais lógico que eu ir lá. 

Minha mãe tinha preparado aquele café da manhã de banquete! Me sentei e sorri pra eles, e quando coloquei as mãos sobre a mesa e a manga da minha camisa subiu eu vi, era uma das pulseiras que o Thjalfi fazia o tempo todo nos nossos intervalos, no trabalho da floresta! Eram os pequenos pedaços de madeira com runas que ele gravava, eu conhecia aquelas gravuras tremidas, eram dele! Como podia!? Olhei com mais atenção virando para ver cada uma das peças e eu estava conseguindo ler!!! Eu nunca tinha conseguido ler runas mas eu conseguia ver cada letra agora!!
Estava escrito "Ate breve".




Então é isso gurizada! Que acharam!? Foi um final que não esperava acontecesse tão rápido maaaas, essas coisas acontecem em formatos assim.
Espero gostem e não me matem! Afinal, até estendi o tempo de votação para ver se mudava e outra opção era votada, mas não teve jeito, foi a última.


Bom meus guerreiros/as, seguinte!
Nas próximas semanas nossa querida unicórnio Athene toma as rédeas do blog para falar com vocês de algo que tem conquistado o coração dela ultimamente, enquanto isso eu estarei um pouco off do blog e da page por conta de um projeto que preciso me envolver e tomará todo meu foco e atenção, mas é por algo bom e que no momento certo eu prometo falar a vcs o que é! ;)

Obrigado por nós acompanhar nesta doideira, esperamos que gostem e nos falamos pronto!
Abraço viking para todos!!! 
Boa semana!